Quando a criança tem aparência de estrabismo, mas não é!

estrabismo-crianca-olhos241115f1Toda criança deve ser avaliada por um oftalmologista nos primeiros seis meses de vida.
Isso porque os exames nesta fase são muito importantes para diagnosticar problemas visuais precocemente e proporcionar uma evolução favorável da visão dos pequeninos.
É importante ressaltar que qualquer alteração pode desmobilizar o mecanismo da visão infantil, por isso o desenvolvimento ocular deve ser acompanhado por um especialista.
É errônea a ideia de que a criança deve ser levada ao oftalmologista somente depois de alfabetizada para conseguir enxergar as letrinhas projetadas à sua frente ou no caso de haver dificuldades no rendimento escolar. O ideal é que todos os especialistas que cuidam dos pequenos, no primeiro ano de vida, deem atenção aos possíveis problemas visuais o quanto antes! É preciso estar atento se a criança se aproxima muito da TV, coça os olhos constantemente vermelhos, ou se piscam muito para eliminar as possíveis causas desses sintomas. Nos casos de suspeita de desvio no globo ocular, é preciso buscar um oftalmologista porque pode ser um problema no eixo ocular – estrabismo ou uma falsa aparência de estrabismo (epicanto), que somente o especialista poderá comprovar. A diferença entre eles é que o estrabismo não desaparece com o tempo; os olhos são verdadeiramente desalinhados.
O epicanto é uma condição em que questões anatômicas ou funcionais podem disfarçar um desvio nos olhos, se normalizando quando a criança começa a focalizar as imagens, em aproximadamente seis meses. Para melhor ilustrar o tema, basta pensar numa prega na pele do canto interno do olho, que encobre a parte branca do órgão, normalmente ao olhar para os lados.
O caso se apresenta assim que a criança nasce, dando um formato amendoado para o olho em questão. Pode ser considerado uma anomalia, com potencial de causar diminuição da acuidade visual, porque a pele mais extensa cobre o canto do olho.
Como tratar?
Os olhos não são mal alinhados de verdade, trata-se de uma falsa aparência e por isso vai melhorar com a idade, de acordo com o estreitamento da prega nasal.
As dobras da pálpebra vão desaparecer!
Mas se a partir dos seis meses de idade, a questão persistir, o ideal é procurar um oftalmologista para examinar a criança.
Neste caso, o olho é estrábico e deve ser avaliado, e tratado, o mais rápido possível para evitar a perda definitiva da visão ou prejuízo no desenvolvimento visual, com reflexo na vida pessoal do paciente.
(Fonte: Revista Veja Bem – Conselho Brasileiro de Oftalmologia)

Deixe uma resposta