Herpes Ocular: emergência oftalmológica

post08fev

O herpes ocular é uma infecção da córnea provocada pelo vírus do herpes simples, o mesmo que transmite o herpes labial.
Em situações repetitivas, onde a infecção atinge camadas mais profundas da córnea, pode ocorrer opacidade e necessidade de transplantes corneanos.
Cerca de 60% da população mundial já teve contato com o vírus do herpes simples.
Este, por sua vez, pode permanecer encubado no organismo e se manifestar através de fatores desencadeantes, como o estresse, febre, problemas de saúde bucal ou pós-cirúrgicos, queimadura de sol e traumas.
Sua transmissão ocorre por contato próximo com uma pessoa contaminada, onde o vírus entra no organismo através da mucosa oral ou nasal e se aloja nos nervos.
Caso não tenha diagnóstico e tratamento imediato, o herpes ocular pode levar o paciente à cegueira.
Os sintomas da contaminação pelo Herpes simples são bastante semelhantes ao provocados por conjuntivite bacteriana, o que leva as pessoas a tratarem o olho doente com receitas caseiras e por automedicação.
O uso de colírios com antibióticos e corticoides não tratam a doença, visto que o herpes simples é um vírus, e então, a doença continua evoluindo.
Dentre os sintomas, podemos destacar a dor, vermelhidão, fotofobia, visão turva, edema, lacrimejamento, surgimento de pequenas vesículas nas pálpebras em sua maioria apresentam-se de forma unilateral.
Uma observação fundamental: o herpes ocular é uma emergência oftalmológica que necessita de diagnóstico e tratamento imediato.
Em caso de sintomas, procure seu oftalmologista.